terça-feira, 11 de abril de 2017

Curso Produção de Game Arcade

No mês de maio vou ministrar um curso rápido de produção de Game Arcade com o ARGS, lá no O Sitio Arte Educação Coworking, na Lagoa da Conceição, Florianópolis-SC. Serão quatro encontros aos sábados, e estou visando um público de entusiastas dos games dos anos 80 e 90, ou qualquer um que queira ter sua primeira experiência produzindo um game desse estilo em um tempo relativamente rápido. Abaixo o link para o curso no facebook:


É preciso ter um notebook com qualquer versão do windows estalado, e o investimento que você fará no curso é de R$ 250,00. Para manter a qualidade da aprendizagem limitei para uma turma de no máximo 10 participantes, assim posso dar a devida atenção as ideias de cada aluno e ajudar a dimensionar para que cada um finalize o curso com o game funcional: pelo menos uma fase completa com seu personagem e alguns inimigos.



Lembrando que meu quarto game autoral está em votação na greenlight (se aprovado pode ser comercializado na rede de distribuição Steam), se você não deu uma conferida ainda, aqui vai o link para a página da votação:

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Devwill na greenlight

O Steam é um serviço de distribuição de games para computador online extremamente popular, e que tem um mecanismo que dá acesso a desenvolvedores independentes  chamado Greenlight (e que deve acabar em breve). Levando isto em conta (e não só), resolvi tentar a sorte com meu último game. Quem por ventura tiver conta no Steam por  favor acesse e vote neste link:


Eu realmente fique pensando a respeito, e até um pouco relutante, de cobrar para que as pessoas joguem meu game (mesmo que seja um valor pequeno, como R$ 2,99). Mas uma das coisas que mais me motivou a colocar o game na Steam é o fator de distribuição e alcance. Eu quero ter esta experiência, tentar ter o game aprovado, e se isto acontecer, saber como funciona, quantas pessoas vão jogar meu game, etc. Como o Steam tem um alcance muito grande fico me perguntando se mais pessoas vão jogar o DevWill que meus games anteriores, que distribuí "de grátis". Vamos ver, lancei os dados. Abaixo o vídeo que produzir para ser um "trailer" de propaganda do game.


Mais sobre o game:


Devwill é um game de plataformas, arcade, com gráficos e jogabilidade simples. Todos as imagens são quase que em preto e branco, com alguns detalhes com alguma saturação de cores. O detalhe estético importante fica por conta do efeito de filme PB antigo, riscos na tela, sons de projetor antigo, e recursos típicos dos filmes mudos em preto e branco, em especial Nosferatu (1922) e Metropolis (1927), dois marcos do Expressionismo Alemão no cinema.

Tais referências não são tão novas no mundo dos games: um game famoso como Castlevania, por exemplo, foi inspirado nos antigos filmes de horror do cinema preto e branco, de Nosferatu aos filmes de Bela Lugosi. Até pensando nisso que faço também uma referência ao filme "Creature from the Black Lagoon", filme de terror "B" dos anos 50. Então, tento retomar essa prática de buscar inspiração nos bens culturais do passado, e faço esta experiencia com os elementos estéticos e narrativos do cinema mudo.

(In english)

Devwill, an oldschool platformer with artistic aesthetics needs your vote on Steam Greenlight: https://steamcommunity.com/sharedfiles/filedetails/?id=900234026

Devwill is an arcade game for PC. All visuals are almost in black and white, with some details with some color saturation. The important aesthetic detail comes from the effect of the "old B & W film", screen scratches, ancient projector sounds, Intertitles texts, typical artifacts of black and white films, especially Nosferatu (1922) and Metropolis (1927) Of German expressionism in cinema. Demo avaliable.

The final version will include:
- 15 levels
- 5 heads
- About 30 min of speedrun gameplay
- A intrinsic gameplay narrative
- Tons of classic B&W horror movies references
- All this for only 1 dollar



I'm very aware that such references are not new in the world of games: a famous game like Castlevania, for example, was inspired by movies like Nosferatu's and Bela Lugosi's films. Thinking about it, I also make reference to the movie "Creature from the Black Lagoon", horror film "B" of the 50's, an obvious inspiration for the Castlevania series. So I try to take up this practice of seeking inspiration in the cultural assets of the past, and made this experience with the aesthetics and narratives elements of Silent B&W movies.

sexta-feira, 31 de março de 2017

Aulas...

Acho que fazia um mês que não postava aqui no blog, já tava sentindo falta. O primeiro mês de aula foi cheio, mudanças de horário em uma das escolas, preparando materiais para as aulas, mas tudo tem corrido bem. Quero mostrar um pouco das atividades do primeiro mês de aulas.


Desenho de dois ou mais planos:


Depois do "desenho diagnóstico" e do texto "Desenho na arte contemporânea" eu pedi para os alunos um desenho com dois ou mais planos. Expliquei como funcionam os planos na imagem, e mostrei um exemplo que eu fiz pra eles. Como de costume eu ia circulando pela sala, ajudando os alunos que as vezes não sabiam como começar, corrigindo e mostrando como fazer diferente pra poder ter o corte dos planos.


Constatei no desenho diagnóstico que muitos alunos "empilhavam" os planos um abaixo do outro e não na frente do outro. Com meu pequeno exemplo eu ia esclarecendo para os que tinham dificuldade. Por fim a grande maioria dos desenhos saiu com dois ou mais planos, alguns mais simples, mas outros excepcionais:


Depois disso eu passei um texto no quadro, na verdade um pequeno vocabulário de alguns termos que vamos usar no decorrer do ano, e que reproduzo no final desta postagem.


Desconstruindo clichês:


Outra coisa que observei no desenho diagnóstico era como se repetiam alguns clichês de desenho, em especial "aquele sol", "aquela nuvem", e "aquela árvore" de sempre (sabem de quais eu estou falando né?). Então eu propus uma atividade em que eles deviam desenhar em uma folha 3 arvores,  nuvens, e 3 sóis, um diferente do outro, e diferentes daquele clichê de sempre:


Comecei a aula explicando perguntando a eles o que era um clichê, e quase sempre ninguém fazia ideia do que significava a palavra (sempre que levo qualquer palavra fora de um vocabulário básico eu pergunto se eles sabem o que significa e explico do meu jeito). Depois mostrei os clichês. Mostrei as formas geométricas básicas (o quadrado, circulo e o triângulo) e desenhei um exemplo de arvore com uns quadradinhos. Como sugestão então deixei esse exemplo, pra eles brincarem com as formas geométricas na criação de suas árvores, sóis e nuvens. Novamente, saiu bastante coisa interessante:


Dinâmica do Caderno de Artes


Sei que não é a invenção da roda, e me sinto até tolo de só agora estar descobrindo as vantagens de exigir dos alunos um caderno de artes. Primeiro, não trago mais um monte de folha e papel dos alunos pra casa, é menos trabalho e preocupação para mim, e eles agora tem de se responsabilizar pela manutenção do que produzem. As avaliações agora eu faço olhando o caderno a cada 4 semanas (ou próximo disso). Tem 10 quem tem todos os textos e atividades que fizemos nas semanas anteriores, pra quem falta atividade a nota vai baixando, quem atrasa em uma semana pra mostrar o caderno tem nota descontada também. É bom que o critério fica claro, focado na participação, e eles saem com a sensação de justiça em relação á nota.

A outra coisa que tá sendo bem legal nessa dinâmica do caderno é ter tempo. No dia que faço a avaliação eu passo uma atividade pra eles (copiar algo do quadro, desenhar, etc), principalmente para as turmas agitadas (as calminhas até deixo sem fazer atividade) eu fico sentado na mesa, os alunos vem um por um mostrar o caderno (na ordem da chamada) e eu posso olhar com calma, fazer comentários pro alunos, e registrar os trabalhos que ficam acima da média. Isso sempre foi um problema que eu não resolvia, eu queria registrar as atividades, mas não tinha tempo dentro da dinâmica das aulas, agora eu tenho.

Como nem tudo são flores, eu vejo agora que falhei em não ter feito uma atividade específica antes de começar tudo isso. Apesar de muitos alunos já terem o caderno de desenho, alguns ainda não se organizaram nem providenciaram um. Já estava no meu planejamento fazer uma atividade de encadernação com eles (como fazer uma encadernação). Eu poderia ter feito esta atividade primeiro, e cada um deles já teria produzido seu caderno de artes para usar o resto do ano (ou no primeiro semestre pelo menos). Seria uma cosia deles, feita por eles, e a grande maioria já teria o caderno de artes. De uma próxima vez farei assim.

Aluna Daiane


No terceiro ano temos uma aluna com surdez, a Daiane. Ela já está conosco a 4 anos, tem épocas que evade da escola, e sempre teve várias dificuldades com a linguagem de sinais (agora que ela está se comunicando melhor). É uma aluna que é um caso a parte, e que merece uma observação mais particular. Ela desenha desde que a conheci, e seu desenho tem uma particularidade: é sempre narrativo. Ela conta histórias, mistura ficção e realidade factual, e quase sempre auto biográfica.


Ela desenha muito, sempre traz muitos desenhos de casa para me mostrar, e sempre vai além do que eu peço nas atividades. Acima o desenho dela das árvores/sóis/nuvens, e desenhos extras que ela fez (já aplicando o exercício que havíamos feito anteriormente dos planos na imagem).

E deu por hoje...


Vou parar a atualização por aqui que já ficou bem extensa. Em breve vou mostrar meu próximo game (que já está em processo de finalização) Devwill, inspirado nos filmes do Expressionismo Alemão, e posteriormente sobre as atividades que se seguem na escola. Abaixo o "vocabulário" que passei para os alunos em uma das aulas:

Vocabulário para as aulas de arte

Desenho: O desenho se define pela linha marcada (contorno) e pelo tipo de material empregado, ex: papel, lápis, caneta, outros.

Pintura: A pintura se define pela mancha de cor e pelos materiais empregados, ex: Tinta sobre superfícies variadas.

Gravura: são imagens reprodutíveis (podemos fazer várias cópias iguais) e usam diversas técnicas, desde mais manuais até automatizadas. Ex: xilogravura, litografia, frotagem.

Colagens: É uma colagem quando pegamos um material e grudamos sobre outro material. Ex: zines

Planos no desenho: São as “camadas” que ajudam a criar a ilusão de profundidade na imagem.

Enquadramento: É o "recorte" da imagem e pode ter a ver com o formato da superfície em que você desenha, pinta, compõe a imagem. Ex: redondo, retangular, etc. (diferenciar do enquadramento no cinema)

Suporte: É o “recipiente” do trabalho artístico, que pode ser o papel, uma tela, madeira, uma parede, o corpo do artista ou de outra pessoa, etc...

quinta-feira, 2 de março de 2017

Tutoriais finalizados

Hoje terminei de fazer o tutorial de ARGS. Dividido em 13 partes, tentei disponibilizar um passo a passo que auxilie qualquer um a fazer um game no Arcade Game Studio.
 
No menu da direita você encontra todas as páginas do tutorial, boa sorte com seu game! 


sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Aulas

Diário A/R/Tográfico


Querido diário e leitores amigos, sou A/R/Tográfico por que quero unir o "útil ao agradável", tornar minhas aulas pesquisa, minha pesquisa fazer em arte, e meu fazer em arte novamente em aulas. Por isso vou navegando entre essas fronteiras, buscando seus pontos de encontro e mestiçagem. Vamos lá pra uma longa postagem, que as últimas semanas foram cheias de aprendizagem.


Planejamento


Iniciaram as aulas, esse ano estou com 5 turmas de Ensino Médio, e 8 turmas de fundamental (4 oitavos e 4 nonos). Decidi que esse ano vou retomar a pesquisa e prática em Narrativas Visuais e criação de imagens. Quando relevante vou relacionar conteúdos da história da arte, e em resumo a coisa vai ficar assim:

8º anos:
  1. Bim - Desenho e Grafismos (Rupestre, Renascimento, Cubismo).
  2. Bim - Arte Cinética e outras formas de se criar imagens, criação de personagens.
  3. Bim - Pré produção de um game da turma, início da produção.
  4. Bim - Produção final do Game.


9º anos e Médio:
  1. Bim - Desenho e Fundamentos da Linguagem Visual (Kandinsky).
  2. Bim - Semiótica e propaganda, Narrativa (Surrealismo, O Narrador Benjamin).
  3. Bim - Narrativas Visuais: HQ, tirinhas, Zine, Livro Ilustrado.
  4. Bim - Pesquisa e produção de livro ilustrado para os anos iniciais.


Obs: Sim, vou fazer games com 4 turmas de 8º anos, sei que prometi pra mim mesmo que não faria novamente com tantas turmas, mas esse ano me coloco novos objetivos. Um destes objetivos é produzir as imagens para o game o mais próximo de sua versão final, para necessitar o mínimo de edição de minha parte em casa.


Primeiras aulas


Esse ano decidi experimentar aulas isoladas, nada de aula faixa. Na primeira aula, além da tradicional apresentação dos alunos e minha, apresentei o planejamento e conversei com eles. na segunda aula pedi um desenho diagnóstico, mas antes expliquei o seguinte: como iniciamos a desenhar lá pelos 2 anos, como vamos seguindo até o desenho de contorno, e como, na idade deles, muitos estão parando ou já pararam de desenhar (e acham seu desenho feio).

Na terceira aula eu passei no quadro o texto que eu fiz e transcrevo abaixo (adaptado, para os alunos eu simplifiquei um pouco a linguagem), lemos e conversamos sobre o que o texto queria dizer. E na última aula que dei eles fizeram um desenho com dois ou mais planos.

"Desenho na Arte Contemporânea: parte de um todo

Durante muito tempo o desenho foi tido como um acessório da arte. Um desenho não era obra de arte, no máximo um rascunho, uma ferramenta utilizada na concepção do trabalho de arte. Foi só no século XX que essa percepção mudou.

De lá para cá tornou-se possível que os trabalhos de arte se misturem com objetos e espaços da vida como um todo, diluindo limites entre arte e vida. Linguagens como a vídeo arte, arte sonora, instalações, performance, misturam diferentes formas de arte. Tornou-se importante não só o trabalho finalizado do artista, mas seu processo de criação, o caminho que ele percorre, as perguntas que se faz para criar seu trabalho.

Os limites do desenho e seu suporte, que antes era apenas o papel, foi expandido, possibilitando o surgimento de trabalhos que misturem desenho e pintura, colagem, performance, fotografia, entre outros. Uma destas novas possibilidades são os Cadernos de Artista, que podem reunir vários desenhos, anotações, recortes variados, e tudo que o artista considera relevante para sua criação. Estes cadernos podem ser únicos ou parte de uma série de Múltiplos"


Decisão Prática e Importante: O Caderno de Artista.


Com tantas turmas esse ano, tomei algumas decisões importantes. uma delas é que não teria tempo nem paciência pra trazer um milhão de trabalhos dos alunos pra corrigir em casa. Sendo assim, combinei com os alunos o seguinte:

  • Cada aluno vai ter seu "Caderno de Artes" e vai usar como um Caderno de Artista. Ali ele vai fazer as atividades, copiar conteúdos de texto e imagem, e fazer outras anotações/desenhos/colagens que achar relevantes, mesmo que externas á aula.
  • A cada 3 ou 4 semanas eu vou marcar a "avaliação", aviso sempre com uma semana de antecedência. No dia da avaliação, vou chamar um a um na minha mesa, e vou avaliar o Caderno de Artes até aquele momento, dando uma nota para o aluno.
  • Anotações/desenhos/colagens extras no caderno podem valer pontos extras.
  • Recuperação vai ser um trabalho de refazer o que falta ou ficou fora de contexto no caderno.



Acredito que, além de viabilizar meu trabalho, que isso ajude os alunos a ter responsabilidade por suas atividades. Avisando uma semana antes ainda dou a chande dos atrasados atualizarem seu caderno pra me mostrar ele completo.

E como de costume eu vou fazendo junto com eles, já comecei essa semana o meu Caderno de Artista, onde vou fazendo anotações para minhas aulas.



terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Mais tutoriais de ARGS

Tutoriais atualizados, agora adicionei a etapa 10 - Chefe de Fase (Boss) e ator "Check". Também fiz um complemento na etapa 05 - Tilesets e Cenários, e adicionei o passo a passo de como colocar um cenário de fundo no seu estágio.

 


sábado, 11 de fevereiro de 2017

Tutorial ARGS

Próxima segunda começam as aulas, e em breve devo voltar a postar algo sobre as atividades desenvolvidas com os alunos em sala de aula. Este ano, além de minhas 5 turmas de Ensino Médio, peguei 4 Oitavos e 4 Nonos anos. Vai ser uma experiência nova pra mim dar aulas para turmas de Ensino Fundamental dos Anos Finais.

Entre um planejamento e outro tirei essa noite pra atualizar o blog com mais tutoriais de ARGS. Seguindo todos os passos do tutorial, e com um pouco de perseverança, eu acredito que mesmo quem não entende muito de games pode realizar um game simples de plataformas (sem utilizar linguagens de programação). Adicionei no tutorial 07 mais um tipo de plataforma flutuante (que cai quando o jogador passa por cima), o tutorial 08 que mostra como fazer uma tela de "cinema" para o game (uma pequena introdução ou apresentação), e o tutorial 09 que explica como criar e implementar um "hero automated" e fazer uma animação automática para quando o jogador conclui um estágio.


Abaixo o link para a seção de tutoriais do Blog:

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Tutoriais ARGS

Tutoriais ARGS


Apesar das férias, e dos projetos de férias (entre eles a construção de uma varanda na casa), fiz mais dois tutoriais de ARGS, que já estão online aqui no blog:

06 - Inimigos e "Behavior"
07 - Estagio 2 - plataformas móveis e foreground.

Acompanhe todos os tutoriais de como fazer seu game no Arcade Game Studio aqui no blog:

http://diarioartografico.blogspot.com.br/p/tutorial-args_17.html


terça-feira, 10 de janeiro de 2017

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Jürui

E devagar, sem pressa, em paralelo a outros projetos, continuo desenhando arts conceituais para meu game inspirado no clássico Altered Beast.


O Logo eu fiz a partir de um rascunho, a arte não é a definitiva do game, mas vai ser praticamente isto. Abaixo, um pouco dos inimigos que estou desenhando.





Devagarinho eu vou na pré produção, e no momento certo começo a produzir o game mesmo. To pensando em não restringir a paleta de cores, e fazer os gráficos bem detalhados, o que vai dar trabalho e tomar tempo, mas eu dou conta. As músicas que vão ser um trabalho a parte, sair do esquema de "guitarra/baixo/bateria" é sempre mais desafiador pra mim, mas eu vou querer uma coisa marcante e com instrumentações pouco usuais.



Tutorial ARGS atualizado

Tutorial atualizado, agora vamos adicionar um ataque ao nosso personagem controlável.

http://diarioartografico.blogspot.com.br/p/tutorial-args_17.html



domingo, 1 de janeiro de 2017

Tutorial ARGS

Fiz um tutorial meio rápido, mas espero que sirva a alguém, de como fazer seu primeiro personagem no Arcade Game Studio.

Abaixo o Link:

http://diarioartografico.blogspot.com.br/p/02-sprite-e-ator-hero.html


Edit: Só de curiosidade, resolvi fazer esse game de exemplo, que vou montando junto com o tutorial, usando as limitações do ZX Spectrum. Serão 4 fases, talvez com mais de uma área cada uma, alguns inimigos e chefes simples, tudo apenas com o básico em matéria de gráficos e sons. Isso pra mostrar que não é preciso muito pra fazer um game de plataformas.