quarta-feira, 29 de junho de 2016

Transitar pelas fronteiras. A 3 anos eu pensava nos termos da "mestiçagem", de suas vantagens, daquilo que tiro de proveitoso pra mim, desde que me lembro fazendo coisas. Em parte é aquela coisa de dialogar referências de diferentes origens sem muita frescura: de livros, filosofia, games, filmes, desenhos animados, músicas, história, ou qualquer outra fonte. Também, misturar linguagens e métodos, permitir que eles se contaminem.


Mas recentemente também tava pensando na fronteira como zona de exclusão de regiões em conflito, de guerra. As fronteiras são o local do marginal, daquele que não se adéqua bem nem de um lado nem do outro da fronteira. Pode ser que tudo que eu faça, até o final da vida, não seja bem aceito nem como arte ou nem como artesanato, nem como música ou nem bem como experimentação, nem como linguagem estética nem como game. Em fim, fico eu, e meus produtos, sem muito lugar a não ser uma fronteira que oscila. Não me acho especial nem que isso seja exclusivo, na verdade, vejo isso muito por ai.

A vantagem que temos por transitar nessa zona de exclusão é a liberdade de não precisar atender aos "critérios" do momento. O critério para definir se algo é arte ou não varia no tempo e nas sociedades, assim como o que é musica ou não, se é linguagem viva ou morta, por fim, o que tem valor estético ou não. Pois dane-se, é muito bom não precisar dar satisfação a critérios tão voláteis.

Quanto ao game, isso penso que não seja tão mutável: para ser game tem de ter o fator de jogo, tem de ser desafiante, e tem de ter valor em si para o jogador (ou seja, não necessariamente precisa ter narrativa). O game, entendido como uma linguagem estética como qualquer outra (como cinema, música, HQs), tem regras próprias a sua natureza, e afeta o jogador a partir destas regras. Claro que, por predileção, me interessa muito a dimensão da narrativa no game, por que acredito que essa seja uma parte importante, além de ser aquela que tenho possibilidade de mexer.

Já devo ter publicado aqui antes, mas não custa retomar: a narrativa me interessa não só por gosto, mas por que é onde eu posso experimentar e pesquisar. Não sou programador, não espero reinventar a roda no game, mas espero pegar as rodas já inventadas e pintar com outras cores, pois quando elas giram, dependendo da cor e da velocidade, você tem um efeito diferente.

sábado, 25 de junho de 2016

Meu segundo Game lançado!

Hoje, dia 25-06-2016, finalmente terminei e lancei meu segundo game (sem contar os que fiz com os alunos). O que era pra ser um projeto de seis meses acabou levando dois anos, uma por que deixei em "stand by" enquanto construía a casa, e outra por que acabei fazendo mais gráficos e elementos do que tinha planejado no início. pra comemorar, finalizei a seção de "Games", do Blog. Acesse a seção, e acesse a página do MarloW, pelo link abaixo, ou pela seção à direita:






Na seção do game tem mais imagens, gifs animadas, e diferentes capinhas para gravar o game em CD ou DVD. Tem também o link para a página no Gamejolt, onde você pode fazer o download do game para jogar em seu computador (e necessário um PC com Windows).

Edit: Aqui os links diretos do game na página do Gamejolt e do itch.io

http://gamejolt.com/games/marlow-in-apocalyptic-acid-world/91292

https://paulo_villalva.itch.io/marlow

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Seções atualizadas.


Frio, Chuva, só mesmo atualizando o blog e fazendo uma comida quentinha. Atualizei duas seções, primeiro a de Esculturas, com fotos que eu achei dos dois dragões de cerâmica que eu fiz. Depois, da seção de Artesanatos, que estava vazia, agora está repleta de fotos de peças que minha mãe, D. Osmarina, confeccionou, e que eu pintei pra ela, em seu Ateliê, entre 2009 e 2011, se não me falha a memória.




Clique nas respectivas seções, no menu à direita do Blog, para acessar-las.




terça-feira, 21 de junho de 2016

Arte e cinema nos games...

Um game não necessita de narrativa, mas é comum que tenha alguma história, personas e suas motivações que estão para além das regras do jogo. Uma referência visual e narrativa comum em games, tanto antigos como atuais, são apropriações do cinema e das artes visuais. Falo isso por que me deparei com esse breve artiguinho na internet:


Achei interessante, mas fiquei me perguntando sobre que outros jogos também teriam influências do Giger, ou de seu Alien. E quais destes que vão para além da mera cópia de personagens ou estilos visuais. Bom, uma coisa de cada vez, então vamos lá, além dos 3 games cita, facilmente identificáveis como devedores da obra do Giger, achei mais alguns (e tenho certeza de que não são todos), então aqui vão as imagens e legendas:

 Streets of Rage 2 - Mega Drive

Clique em "Mais informações" para expandir a postagem, ver as imagens e ler o restante...

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Game do MarloW


Mais 2 estágios do game prontos, agora faltam apenas 2 + o final do game. Bem a tempo, por que o espaço para atores do ARGS já estava se esgotando, sobrando apenas 8 atores restantes. mais imagens na página do game no gamejolt:




Olha a chuva... e é acida!



Generals gathered in their masses...

domingo, 19 de junho de 2016

Seção atualizada...

Finalmente terminei de montar a seção de Invencionices, onde quero colocar coisas que faço e que não se encaixam em outras categorias, como por exemplo as máquinas de Taito (Arcades, multijogos) que fiz e continuo aprimorando. Entre na seção clicando sobre o nome no menu à direita do Blog.


Ainda tenho de montar a seção de "Artesanatos" (o que como sempre vai me tomar algumas horas), além de catar imagens e vídeos que fiz e que estão perdidos pelo PC ou na internet.

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Trabalhando...

Trabalhando, apesar de...


Enquanto o mundo segue no seu turbilhão, procuro a tranquilidade de casa pra trabalhar em meus projetos.

Game do MarloW...


Os tralhos de meu segundo game solo vão bem, obrigado, fiz mais uns estágios do game, agora só faltam 4 + final do game. Também fiz uma alteração no nome do game e de seu protagonista, ele/ela agora se chamam MarloW, por vários motivos. O "M" é a primeira letra de "man", é o simbolo do personagem Mario, o qual faço referência, e o "W" de "woman", sendo também a letra do "Wario", personagem que representa uma corruptela de mario, seu oposto, sua versão de "mundo bizarro". Aproveitando, atualizei a página do gamejolt com fotos dos novos estágios que já incluí no game:







Instrumentos musicais...


Gravei dois vídeos pra mostrar dois dos últimos instrumentos musicais que fiz. Os vídeos já estão no youtube, e já devo adicionar eles lá na seção de Instrumentos Musicais. Abaixo os vídeos:





Aulas...


As últimas aulas não foram lá muito bem, nem empolgantes. Primeiro porque a escola enfrenta problemas que vem se agravando a anos, como a falta de funcionários, professores, estrutura. As últimas medidas do governo estadual fizeram, como podia-se prever facilmente, aumentar ainda mais a falta de professores substitutos (ACTs), sendo eles boa parte do quadro de professores (na minha escola são a maioria). Os alunos sentem o descaso na pele, e devolvem esse descaso para nós, professores, ou seja, o estado dá o tapa na sociedade e nós professores damos a cara para receber outro tapa de volta.

Tudo isso deixa a escola ainda mais bagunçada. Pra ajudar, uma turma de primeiro ano estava zoando demais com minhas aulas, fugiam em massa das aulas, e usaram a argila que levei pra eles pra entupir os vasos sanitários do banheiro. Sendo assim, to fazendo uma temporada de "matéria no quadro, atividade, e prova" com eles, passando conteúdo teórico de música. Passei sobre escalas musicais, e devo passar ainda sobre notação musical básica, antes de cobrar uma prova.

No mais, aguardo que os alunos consigam quaisquer dos materiais que listamos para fabricação de instrumentos. Faremos aquilo que der de fazer com os materiais reciclados que eles trouxerem. A maioria das turmas ainda não se mexeu em anda e não trouxe material algum. Até final de julho (antes das férias deles) ainda quero organizar a mostra anual de talentos (por falta de nome melhor), onde os alunos que desejam expõem e apresentam trabalhos de arte e performances de qualquer tipo.


domingo, 5 de junho de 2016

Atualizações...

Game do Marlo

Hoje atualizei meu game do Marlo, consegui montar mais uma fase do game, faltam poucas agora. Já coloquei mais fotos na página no gamejolt de meu game, confira pelo link: http://gamejolt.com/games/marlo-in-apocalyptic-acid-world-wip/91292



Seções do Blog Atualizadas...

A seção de "Produção de imagens" foi atualizada com as fotos da geladeira que pintei. Também a seção de "Instrumentos musicais" foi atualizada com meus últimos experimentos, uma violata amarela, outra viola de lata grande (lata de Colomba Pascoal), e um pequeno instrumento fretless com alguns experimentos de escala e intervalos (detalhe legal foi o uso de chaves de armário no lugar de cravilhas)


 





Ainda, mais a baixo tem a imagem dos Pads de bateria que fiz pra minha bateria eletrônica da Staff Drum. O módulo da ALESIS, que gera o som, tinha ainda 4 slots vagos para adicionar instrumentos (tambores e Pads). Um pad original custa algo como R$200,00. Assim sendo, decidi fazer meus pads com materiais simples, baratos, e aproveitamento de cosias que já tinha em casa. Só comprei mesmo as braçadeiras (para fixar os pads), um tapete de borracha preta (para cobrir os pads), e os captadores piezos. Gastei menos de R$10,00 para cara PAD.